carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Contos Tradicionais do Brasil

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Contos Tradicionais do Brasil

Livro Bom - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    1
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Luis da Câmara Cascudo  

Editora: Global

Assunto: Folclore

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 318

Ano de edição: 2004

Peso: 495 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Bom
Marcio Mafra
30/06/2006 às 13:16
Brasília - DF

O livro é meio pesado porque muitos dos contos são enormes. Os personagens de algumas histórias têm a cor, sotaque e gíria do Rio Grande do Norte, fatos que embora possam preservar e difundir a cultura, tornam os contos uma chatice para quem não tem intimidade com o linguajar nordestino. São contos, contos e mais contos....quase todos muito longos. Vale como folclore do Rio Grande do Norte. Nada mais. São destaques: A Raposa e a Onça Paga; A preguiça; O caboclo, o Padre e o Estudante Como a Aranha Salvou o Menino Jesus.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Contos de encantamento, exemplos morais, animais, religiosos, etiológicos, demônios, adivinharão, morte e tradição. Contos do folclore brasileiro.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

O Caboclo, O Padre e o Estudante. Um estudante e um padre viajavam pelo sertão, tendo como bagageiro um caboclo. Deram-lhes numa casa um pequeno queijo de cabra. Não sabendo como dividi-lo, mesmo porque chegaria um pequenino pedaço para cada um, o padre resolveu que todos dormissem e o queijo seria daquele que tivesse, durante a noite, o sonho mais bonito, pensando engabelar todos com os seus recursos oratórios. Todos aceitaram e foram dormir. À noite, o caboclo acordou, foi ao queijo e comeu-o. Pela manhã, os três sentaram à mesa para tomar café e cada qual teve de contar o seu sonho. O frade disse ter sonhado com a escada de Jacob e descreveu-a brilhantemente. Por ela, ele subia triunfalmente para o céu. O estudante, então, narrou que sonhara já dentro do céu à espera do padre que subia. O caboclo sorriu e falou: - Eu sonhei que via seu padre subindo a escada e seu doutor lá dentro do céu, rodeado de amigos. Eu ficava na terra e gritava: - Seu doutor, seu padre, o queijo! Vosmincês esqueceram o queijo. Então, vosmincês respondiam de longe, do céu: - Come o queijo, caboclo! Come o queijo, caboclo! Nós estamos no céu, não queremos queijo. O sonho foi tão forte que eu pensei que era verdade, levantei-me, enquanto vosmincês dormiam, e comi o queijo... "


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Folclore sempre atrai - não por literatice - mas porque é uma das maneiras de se saber a origem dos costumes. No assunto de folclore, o que mais existe é lenda e desinformação. Quando estivemos na Bienal do livro, no Rio de Janeiro em 2005, trouxe este Contos Tradicionais do Brasil.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.