carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Paraiso

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Paraiso

Livro Bom - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    0
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    1

Autor: Toni Morrison  

Editora: Companhia das Letras

Assunto: Romance

Traduzido por: José Rubens Siqueira

Páginas: 364

Ano de edição: 1998

Peso: 465 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Bom
Marcio Mafra
05/01/2007 às 10:05
Brasília - DF

Paraíso é a narração da vida numa comunidade pequena, tipo cidade do interior aqui no Brasil. No romance, a autora dá muito destaque à beleza dos seus habitantes. São pessoas bonitas, como se encontra mesmo nas cidades interioranas. Em torno do convento se desenrola toda a história do Paraíso. São mulheres fortes, decididas que criam cobras e se recusam ser humilhadas pelos "homens monstros". Todas têm um grande pecado ou uma grande mancha da qual fogem e tentam escondê-las na nova condição que encontram no Convento. Ódio, intolerância, racismo e crueldade sobram em todos os capítulos. Paraíso talvez seja um romance diferente, mas não é fácil de ler ou de compreender toda a sua história, que ao final, parece vazia. Talvez porque os brasileiros não conheçam racismo como os americanos conhecem. Nós aqui sabemos muito e dominamos tudo sobre a miséria econômica, que é a nossa forma mais latente de racismo. O livro não é chinfrim. Mas ta longe de ser um bom romance, o que é de estranhar por se tratar de um Nobel dos anos 90.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Historia de racismo que se passa no convento da cidade de Ruby, onde cinco mulheres negras se reúnem e são responsáveis por tudo de ruim que lá acontece.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Escutem o que vou lhes dizer sobre o amor, essa palavra boba que acreditamos indicar que gostamos de alguem ou que alguem gosta de nós, ou que podemos suportar alguém para conseguir alguma coisa ou chegar a algum lugar que desejamos, ou então acreditamos que amor é a maneira como nosso corpo reage ao corpo do outro, como se fóssemos um pássaro, ou um bisão. Ou quem sabe acreditamos que amor e o jeito da energia ou da natureza ou da sorte ser boa conosco em particular, sem nos machucar ou matar a não ser em nosso próprio beneficio.
O amor não é nada disso. Não existe nada parecido com o amor na natureza. Nem no passáro, nem no bisão, nem no rabo abanando de seus cachorros de caça, nem nos botões das flores, nem nos filhotes no ninho. O amor é apenas diivino, é difícil sempre. Se voce acha que é fácil é porque é tolo. Se acha que é natural, voce é cego. É uma utilidade aprendida sem nenhuma razão, nem motivo, a não ser que seja Deus.
Amor não é coisa que se mereça independentemente do sofrimento que se suportou. Que se mereça porque alguem nos maltratou. Que se mereça só porque se deseja. Através da prática da cautelosa contemplação, conquista-se apenas o direito de expressar amor, e temos que aprender a aceitar o amor. O que quer dizer que temos que conquistar Deus. Temos que praticar Deus. Temos que pensar Deus, cuidadosamente. E se formos estudantes aplicados e bons podemos garantir nosso direito de demonstrar o amor. O amor não é um dom.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Toni Morrison, escritora negra e americana do norte foi ganhadora do Premio Nobel de 1994 e muito festejada no Flip de Parati, de agosto de 2006. Comprei dois livros escritos por ela: Paraíso e O Olho Mais Azul.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.