carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Perdoa-me Por Me Traíres

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Perdoa-me Por Me Traíres

Livro Bom - 1 comentário

  • Leram
    2
  • Vão ler
    2
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    2

Autor: Nelson Rodrigues  

Editora: Nova Fronteira

Assunto: Teatro

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 93

Ano de edição: 2004

Peso: 90 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Bom
Marcio Mafra
14/10/2007 às 15:29
Brasília - DF

O tema da peça tem o inconfundível estilo Nelson Rodrigues: direto, escrachado,irônico, tragicômico. Pelo menos o "tipo" é um verdadeiro xerox. Perdoa-me por me traíres não passa daquela mistura de sexo, com ciúme, acrescido de incesto, e terminada com o capricho das canalhices humanas. Não é a melhor coisa do teatro nem da literatura.




Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A historia da encantadora Glorinha, de apenas 16 anos, cuja mãe foi assassinada pelo seu tio Raul, que passou a assediá-la. Glorinha vira puta e prepara uma grande vingança contra seu tio.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

(Raul acaba de contar, para Glorinha, a história de Judite. Vai passsando tia Odete que, por um momento, estaca e diz a sua frase de sempre.)

TIA ODETE (na sua doçura triste)

- Esta na hora da homeopatia! (e passa adiante, mas, na sua ausência, sua sombra e projetada no fundo do palco)
TIO RAUL (para Glorinha) - Então, eu respondi:
"Ela nao traira nunca mais!"
GLORINHA - E morreu? Mamãe morreu?
TIO RAUL -Morreu.
GLORINHA - Não foi suicidio?
TIO RAUL - (batendo no peito) - Eu a matei! Eu! E olha: ninguém sabe, ninguém! Inclusive minha mãe, meus irmãos, pensam, até hoje, que foi suícidio! (baixo, com um meio riso hediondo) (cresce) Mas o assasssino está aqui e sou eu, o assassino! (arrquejando) Segurei a alça, fui ao cemitério e, a beira do túmulo, derramei uma colher de petalas em cima do caixão. Vê tu?
(pausa)
GLORINHA -Eu?
TIO RAUL - Não dizes nada?
GLORINHA (num soluço) - Nada!
TIO RAUL (segura Glorinha pelos dois braços e sacode-a, gritando) - Mas


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

No inicio de abril de 2007, Nelson Rodrigues foi escolhido como o autor que seria o tema homenagem da Flip, que se realizaria em julho. Busquei alguns livros de Nelson Rodrigues para já chegar ambientado na festa de Parati.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.