carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Hierosgamos Diário de Uma Sedução

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Hierosgamos Diário de Uma Sedução

Livro Bom - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    1
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Noga Lubicz Sklar  

Editora: Giz

Assunto: Erotismo

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 253

Ano de edição: 2007

Peso: 415 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Bom
Marcio Mafra
10/07/2010 às 14:51
Brasília - DF

Hieros-gamos, palavra composta, oriunda do grego, em tradução livre significa um tipo de jogo de sedução, praticado entre deuses, que termina na conjunção carnal. Assim, o nome adotado para título do livro de Noga Sklar tem muita propriedade intelectual e sensual. Diz-se, também, que o livro foi inspirado em correspondência real, de transmissão “on-line” entre a autora, Noga Lubicz Sklar, e seu marido americano, o escritor Alan Sklar. Que além dos nomes dos dois personagens principais serem reais, os demais protagonistas têm nomes fictícios, somente para preservação da privacidade desses. Trata-se de um tipo de afirmação que transmitida à exaustão pela editora, vira verdade, quase nunca comprovada. Possivelmente simples jogada de marketing, embora alguns autores, geralmente estreantes, escrevam ficções baseadas em fatos isolados de suas biografias. A história se desenvolve ao longo de 42 dias. Os diálogos digitados nos e-mails são longos e muitos terminam num festival de orgasmos múltiplos e extenuantes. Tanto da parte de Noga como de Alan. O despudor e a simplicidade no trato e descrição do sexo, dos carinhos, das imaginações, dos toques de pele, púbis, vagina, pênis, seios, virilhas, clítoris, línguas, ombros, coxas, bundas, bocas, cabelos e pêlos são abundantes, contundentes, crus e diretos. Estes argumentos presidem a história no começo, meio e fim. Se Hierosgamos se desenrolasse em 14 dias – um terço dos 42 – talvez fosse menos cansativo e menos repetitivo. Pela natureza e conteúdo é possível que o leitor também faça da leitura um jogo que termine por odiar, ou adorar o livro. Com certeza ninguém lhe será indiferente. O final é esgotante.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A história de Noga e Alan, que buscam se conhecer “para um relacionamento sério” e durante 42 dias se desnudam completamente, na internet, através de intermináveis e-mails, expondo os interesses, afetivos, religiosos, sociais, familiares, profissionais e sexuais de cada um, com todo o despudor erótico que só o escudo da tela do computador pode proporcionar.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

...estou aproveitando...ou não ficaria horas teclando...você despertou para o verdadeiro eu, Noga. meu pau está pra sempre vivo, quando conectamos.
- tão impressionante, incrível, delicioso, uau. te amo, Alan. amo o teu cabelo crespo, os pêlos em teu peito, teu abdômen de tanque. teus braços, pernas, pés. mãos e unhas. tua virilha. sem esquecer teu pau, oh! Deus, não ... creme de la creme. você é tão diferente de outros homens ... posso te revelar meus segredos, os tenebrosos segredos sugadores da minha cona.
- me deixa brincar com os pêlos em volta dela ... docemente macios. percorrer os cachos, provocar o botãozinho do lado esquerdo ... a pontinha dele, tocar levemente a vulva inchada, em toda a extensão da carne ... desenhando suave o contorno dela. deslizar o dedo médio da mão esquerda para dentro e senti-la, úmida e sugando, enquanto com outro abro passagem para o meu pau duro, tão penso, tão quente ... as veias espessadas tão ereto.
- é assim que você me conhece, amor: de fora pra dentro, da superfície às profundezas ai, Alan, adoro quando você me toca. me explora. me suga. fico imersa em quieta felicidade ... me diga agora o que você vê ... volto já.
- vejo uma massa de pêlos ruivos, cacheados ... coroando um figo aberto que revela o fluido leitoso, sementes brotando ... um ser rosado a latejar, fendido em metades roliças, com dobras dentro de dobras dentro ...lustroso, brilhando.
- imagine agora eu andando até a cozinha, e atendendo a porta neste estado ... quer provar desse leite?
- quero lamber, engolir, me alimentar dele ... me deito entre as pernas e bebo, provando o sal de ti. afasto os teus lábios e pouso neles os meus, bordejando a cona ... até o cume rosado do teu clítoris. põe teus dedos lá dentro ... toque a ti mesma como se fosse eu ... até gozar, Noga, vem.
- sim, Alan. não te escrevi, mas é o que estou fazendo ... mal possso descrever como estou molhada. você me lambe. me suga. tua língua forte e doce, curiosa e viva. continue teclando, amor... já que minha mão se ocupa ... ai, tão bom.
- o prazer é meu, querida, em te dar prazer...me inclino entre as pernas beijando o interno de ti ... lambendo a fissura o falo dentro ai, que úmida, que lúbrica, tão quente macia espessa, se contorcendo por baixo de mim, me morde me arranha me pega pela bunda ... me agarra com as pernas me embrulha com elas (sim, querido) os corpos no ritmo, me pressiona o pau (ai, Alan, goza agora) entrando e saindo ... retida pelas dobras, a glande deflora a carne rósea, pra dentro e mais pra dentro até gozar ... o pau contraído no espasmo, os ciclos do gozo o fluido na boca, o corpo molhado se aninhando em mim ... e tua vagina? úmida? espessa? estás sentada? deitada de costas? nua?
- ai, Alan, gozei ... queria que você me visse, ainda bem que não estou na biblioteca ... nua nada ... sentada no computador, vestido florido calcinha de algodão. por baixo da roupa seguindo o teu roteiro pela primeira vez, me toquei de verdade com você na tela ... foi incrível. obrigada, amor. por me dar TANTO PRAZER, gostaria que você pudesse fazer o mesmo ... não sei como você se controla com essa força toda.
- que lindo!
ponho o pau pra fora, a mão direita umedecida com creme toco a ponta com a polpa dos dedos ... endureço ereto latejante, penso em ti. deslizo a palma crispada ... me provoco teso, e penso em ti (acaricio gentilmente o pau, lambendo as veias com a ponta da língua, abrindo a fissura encastelada no topo) friccíono frenético respiro ofegante, em pé contra a parede, penso em ti, rápido cada vez mais rápido sentindo o sêmen subir ... (envolvendo em círculos o capuchinho róseo) cada vez mais teso, mais rápido mais forte o movimento da mão, eu penso em ti ... úmido, grosso, um fluxo intenso de gozo lácteo ... teus lábios em volta (olhando você gozar: a força agridoce do sêmen, que abençoa e nutre) jorrando melado e espesso, penso em ti ... a língua sugando ... me engolindo ...
- acabei de sentir teu gosto, a boca cheia de líquido!
- continuo teso, me insinuo entre as coxas úmidas ... rindo da coincidência, só pode ser amor...
- Alan, mon amour ... é incrível como realmente sinto ... tua línngua na boca teu pau na cona enquanto te sugo ... você toca a essência, penetra mesmo na alma.
ereta e nua você me monta. mãos sob os seios o ventre pulsando teus cabelos varrendo o rosto, me beija. te enlaço a cintura você me sorri, meu pau fundo dentro lady godiva a cabeleira em massa flutuando ao vento. te cavalgo, os mamilos eretos virilhas coladas tuas mãos na bunda o falo na cona. pêlos misturados enquanto te monto, cavalo marchaador... com o cavaleiro um só corpo em luta, gemendo, soluçando alto, ofegantes você no colo as pernas me abraçando os braços me enlaçando as bocas lacradas, cona e falo selados me toca o grelo, o prazer em onndas ruboriza as faces, estamos em fogo mais, eu quero mais ... à beira do orgasmo ... paramos. te amo você me ama me aconchego entre tuas coxas e adormeço contigo.
- nos conectamos tão bem, Noga ...
- nus em todos os planos. rendidos, loucos um pelo outro, cósmico tântrico amor. amo te amar, Alan, da ponta do cabelo à ponta do dedão meu corpo te adora. minha pele anseia por ti, minha boca sedenta de ti. até minhas células clamam por ti, renovadas por ti ao me sentir amada. uma alegria calma serenando a mente, a dor curada ... afogada em prazer.
- antes mesmo das células, querida. tua alma clama por mim, nos renovamos juntos ... o amor energiza ... consciência pura, limpa e forte. você não acha o amor demais?
- acho. como é que se vive sem isso? e que prazer eu tive, amor, neste dia e em todos os outros ...
- que bálsamo da existência Noga querida, desfrutei deste dia ... e que prazer fazer amor contigo e por que quereria alguém viver
sem isso? mas é preciso estar límpido .
- e teu laser, você se lembra? você me limpou, sim, sinto a difeerença. abençoada, mais transparente que nunca ... os olhos mais claros, o corpo mais leve, a alma mais quieta, satisfeita ... taí: mais uma boa razão, entre milhões, pra que eu te ame tanto.
- Shabat shalom, Noga ... fazer amor no Shabat é uma benção ... tenho que ir agora, a gente se conecta logo. te amo.
- Shabat shalom, querido. Deus te abençoe ... vai em paz.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

“Quem fala é responsável pelo que diz, mas o ouvinte costuma ouvir o que quer e como quer.” Esta nota do jornalista Henrique Chagas, talvez emitida para promover o livro, me fez comprar Hierosgamos em dezembro de 2009.
Porém, em meados de 2007 ouvi nalgum lugar que Noga Lubicz Sklar iria lança-lo na FLIP 2007. Não o foi, pelo menos naquele ano. Sabe-se que o nome FLIP é um meio excelente de promover livros, autores e editoras, o que ocorre face à exposição midiática, ainda que não se conheçam os critérios para que um autor e seus livros possam participar da importante festa literária.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.