carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Estas Fotos Foram Mandadas Para Sua Esposa

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Estas Fotos Foram Mandadas Para Sua Esposa

Livro Ruim - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    0
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Philip Loraine  

Editora: Arte Nova

Assunto: Romance

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 179

Ano de edição: 1976

Peso: 365 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Ruim
Marcio Mafra
20/07/2002 às 22:11
Brasília - DF
Conto de autor inglês, radicado nos EUA de sucesso midiático, tipo literatura descartável, tendo como de fundo a violência, sexo, drogas e dinheiro. A história se passa com o personagem Hardy tentando desesperadamente achar o responsável pela distribuição de sua vida, pouco antes do inicio do processo a que ele respondeu na justiça, pelo crime cometido.
Nada demais. Suspense encomendado.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A história de Hardy, que teve sua carreira profissional, seu casamento e sua vida completamente arruinados, porque determinadas fotos foram enviadas a sua esposa. Trata-se de um romance que envolve dinheiro, sexo, drogas e sucesso.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Para o Sr. Vandoorn, "informal" revelou-se um terno de seda branca, com colarinho laranja, do qual brotava um lenço lilás, E esta particular residência dos Hockliffes revelou-se um sítio de setecentos acres em meio a uma imensidão de campos verdes, cercada de eucaliptos e gramados, com o deserto ao longe, e ao fundo o panorama de montanhas azuladas. A piscina era tão grande quanto um lago, e a casa em si, impecavelmente moderna, dava aquela peculiar impressão americana de que mesmo as revistas casualmente espalhadas eram obra do desenhista ("Jay Schlesinger", comentou Buddy num sussurro teatral, que teria dominado o Lincoln Center, "Não tem gosto, nunca teve." Havia quatro outros convidados, dois casais, o que me fez sentir mais do que nunca como' se fosse o último amiguinho de Buddy; ou assim me teria Se sentido se eles todos não se conhecessem tão bem, A conversa girou inteiramente sobre pessoas que eu não conhecia: quem eram e com quem estavam, seus atributos físicos e comportamentos, as travessuras dos filhos: na verdade, a mesma conversa que tem lugar em qualquer parte do mundo antes do almoço de domingo, com a exceção de que todas as pessoas mencionadas podiam ser avaliadas em milhões de dólares. Nossa anfitriã fez uma monumental entrada sobre um cavalo; era péssima cavaleira e por muito pouco o animal não a atirou para dentro da piscina. Ela era a remanescente de uma exuberante beleza loira, bem americana, Buddy me disse que tinha trinta e sete anos, mas ela parecia mais velha, Comentei isso com ele enquanto as outras pessoas admiravam uma espécie de cacto, que fora enviado. do Paraguai. "Sssshhh!", replicou ele veementemente. "Existem duas coisas que uma mulher não pode fazer quando fica mais velha; uma delas é esta, a outra é tomar banho de sol. Essa senhora faz ambas as coisas, e olhe para ela!" Como grande parte de suas declarações, esta conseguiu sintetizar perfeitamente a mulher a quem se referia. Ela exibia: Um ar desidratado, super nervoso, que parecia constantemente prometer se acalmar, ficar mais relaxado e amável, mas tal nunca acontecia, Ela parecia trabalhar duro na desfruição de sua beleza e elegância natural, como se estivesse farta de si mesma e de tudo que representava. Se chegasse a participar da conversa, ou fosse levada a rir, imediatamente se observava um recuo,como se o instante de contato e comunicação lhe fosse desagradável, tendo que ser evitado. Senti novamente o desespero apoderar-se de mim. Estava certo de que se poderia conhecer essa mulher durante anos e jamais conseguir aproximar-se dela. Tampouco havia respostas de caráter sexual; não me considero um homem vaidoso, mas sei que a média das mulheres me julga bastante atraente; do ponto de vista sexual, Lyndon Hockliffe estava cercada por uma redoma de vidro; nem sequer permitia que seus olhos repousassem nos olhos de um homem; deslizavam pela face da pessoa e sempre terminavam fixos nas montanhas distantes ou no reflexo do sol dentro da piscina. Não pude definir se ela era mais trágica ou mais irritante. Desnecessário dizer que bebeu-se muito antes do almoço, um churrasco servido no enorme pátio por um grupo de imaculados mexicanos; depois do almoço repetiu-se a dose de bebida. A Sra. Hockliffe bebeu bem mais que os convidados; deve ter se intoxicado, porém isto se revelou apenas numa preocupação mais determinada com as montanhas ou sombras das nuvens cruzando os gramados e o deserto ao longe. A bebida e meu desapontamento começaram a se influenciar mutuamente dentro de mim; parecia-me que jamais teria uma oportunidade de chegar a falar com ela, e muito menos a respeito do seu marido; e mesmo que conseguisse, será que ela me responderia apenas pelo fato de ser uma necessidade minha? A resposta era obviamente negativa. Em pouco tempo fiquei bastante irritado, não somente com essa mulher, monótona e, em todos os sentidos, literalmente estragada, mas com todo o luxuoso arranjo e o estúpido papo, que já se desenrolava durante três horas, sem qualquer intervalo. Apenas Buddy Vandoorn dissera algo digno de ser ouvido (como em geral ocorria) e dessa vez fora alguma reminiscência surpreendentemente objetiva sobre Picasso, a quem chegara a conhecer bastante bem.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Não faço a menor idéia de como este livro tenha sido comprado.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.