carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

De Volta às Estrêlas

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
De Volta às Estrêlas

Livro Ruim - 2 comentários

  • Leram
    2
  • Vão ler
    1
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Erich von Daniken  

Editora: Melhoramentos

Assunto: Ficção Científica

Traduzido por: Else Graf Kalmus

Páginas: 182

Ano de edição: 1971

Peso: 455 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 


Bom
Rafael Mafra
03/08/2002 às 16:08
Brasília - DF

A moda de ler Erich von Däniken é anterior ao meu nascimento. Li "Eram os Deuses Astronautas?" por achar o título bacana. Li "De volta às Estrêlas" por ser a continuação do primeiro e intrigante livro da série. E por causa do intrigante acento circunflexo no "E", para mim, um sinal de velhice da obra. O livro parte do pressuposto que as indagações do primeiro livro, de sermos descendentes de uma raça evoluída de extraterrestres, estavam certos. O pressuposto pode estar errado ou certo, mas o fato é que um livro não pode desenvolver-se sobre uma alicerce tão fraco. As fotografias e os fatos não são tão contundentes quanto os do primeiro livro, assim como a tese do autor. A idéia de inconsciente coletivo, ou coisa que o valha, não é embasada, nem discutida. Na verdade, o livro parece com uma continuação barata e sem graça de "Tubarão" ou "Pânico", como disse o profeta.


Ruim
Marcio Mafra
01/08/2002 às 16:03
Brasília - DF
Eram os Deuses Astronautas ? O sucesso de Erich von Däniken, tinha edições sucessivas, no final dos anos 60. A fantástica história de que extra-terrestres haviam visitado o planeta em tempos imemoriais encantava à todos. Marcas indeléveis destas visitas foram identificadas e fotografadas pelo autor, nos mais diversos lugares do mundo. Na esteira do retumbante sucesso, logo no início de 70, é lançado o De Volta às Estrelas. Nele, o autor dá continuidade à sua tese, no sentido de que a "saudade" que sentimos das estrelas é como um anseio de realização, ou, uma volta dos humanóides modernos às estrelas. O autor se utiliza, também de fotos sensacionais do México, Líbia, Costa Rica, Guatemala, Venezuela, Bolívia, Ilha de Páscoa e - como não poderia deixar de ser - Matchu Picho, no Peru. O livro, o tema, o tradutor e sua leitura são muito bons. Alguém que não tenha lido o "Eram os Deuses Astronautas ?" tenderá a classificar este livro como sensacional. Caso contrário achará o "De volta às Estrelas" uma continuação barata e sem graça, como nos filmes: Tubarão II, ET II, etc. O velho conto da editora. Faz um livro de sucesso e tira xerox dos demais. Danem-se os leitores.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A história dos resultados de suas últimas viagens de Erich de exploração aos lugares de enigmáticas culturas primitivas, em apoio a sua muito discutida tese, de que seres extraterrestres visitaram a terra em tempos pré-históricos.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Só quando se começou a lidar com o coração, que, instintivamente, consideramos ser algo mais do que uma simples bomba, o transplante desencadeou, em todos os jornais do mundo, vivas discussões e violenta oposição. É estranho que os homens, tão amantes da vida e tão temerosos da morte, não tenham aclamado unânimemente êste progresso da ciência médica. No entanto, é uma perspectiva animadora poder prolongar a vida de um homem, por meio da substituição de um órgão defeituoso! Muitas equipes médicas dominam a técnica destas intervenções cirúrgicas. Tão logo o grau de rejeição possa ser reduzido, sem com isso pôr em perigo a defesa do corpo contra infecções, os transplantes, provàvelmente, serão praticados com a mesma naturalidade das operações de apendicite. Precisamente nessa época, todavia, surgirão dificuldades na obtenção de órgãos para a substituição. Para que tais operações, que decidem sôbre vida ou morte, não dependam de tabus familiares ou religiosos, será necessário organizar "bancos de órgãos humanos", para receptores desconhecidos. "Bancos de sangue" já existem hoje em todos os hospitais do globo. Por que será que ninguém se insurgiu contra a instalação dêles? Pois o sangue, tão fundamental para a vida, é muito mais misterioso do que a bomba-coração. Naturalmente, o sangue é doado, livremente, pelos homens. Mas por que não poderá ser assim também, um dia, em relação aos órgãos, por parte de homens cientes de sua morte, ou por parte de seus parentes? Eu acredito também que o transplante de órgãos representa apenas uma fase transitória. Se, um dia, conseguirmos programar a cadeia em hélice dupla de ADN, no núcleo, com informações para a estrutura ou reestrutura de órgãos, então estarão logo esquecidos os métodos "Frankenstein". O cientista russo L. P. Poles já conseguiu uma regeneração satisfatória da parte superior de u'm crânio e a reconstituição planejada de membros amputados. Algum dia haverá, também, uma cirurgia de genes. Utopia? Não creio, ainda mais sabendo que o Dr. Teh Ping Lin, em San Francisco, já em 1966 conseguiu aplicar uma injeção no óvulo de um camundongo. O óvulo de um camundongo só representa, em tamanho, a décima parte de um glóbulo vermelho de sangue e não é visível a ôlho nu! O Professor E. H. Graul, diretor do Instituto de Radiobiologia e Aplicação Medicinal de Isótopos, da Universidade Philipps de Marburg, e o cientista em cibernética, Dr. Herbert W. Franke, deram, no "Deutschen Ãrzteblatt'', Previsão da medicina e dos campos vizinhos, para os anos de 1985 e 2000: Previsão para o ano 1985 - Domínio no setor de transplantes de órgãos humanos e de animais; eliminação de reações de rejeição. - Uso rotineiro de órgãos artificiais em sistemas biológicos (próteses de material sintético e I ou partes eletrônicas, dentro do espírito de Kyborg). - Grandes progressos nos setores gerontológicos e geriátricos. A expectativa média da vida estará em tôrno dos 85 anos. - O processo do envelhecimento será influenciado em sentido positivo, tornando-se mais lento o de crescimento físico e psíquico, decorrente da idade. - Primeiros resultados positivos quanto à formação primitiva de vida artificial. - A eletrônica biomedicinal influenciará a medicina prática de maneira sensível (por exemplo, próteses eletrônicas, radar para os cegos, membros com servomecanismos, e outros meios mais). Previsão para o ano 2000 - Congelamento de sêres humanos, por horas ou dias. - Determinação do sexo de crianças antes do nascimento. - Possibilidade de transplante para todos os órgãos. - Correção de defeitos congênitos. - Constantes manipulações genéticas em animais e plantas. - Criação de formas primitivas de vida. - Aplicação de raios "laser" no âmbito dos raios X e gama. - Imunização geral bioquímica contra doenças. - Aplicação cada vez maior da técnica Kyborg (órgãos artificiais). - Manipulação de sêres através de estimulação do cérebro. - Drogas para o contrôle da disposição psíquica do homem; meios químicos para melhorar a memória e a capacidade de aprender. Eu pressuponho: Inteligências estranhas ao nosso planêta eram senhoras dêste saber, em tempos remotíssimos. Eu pressuponho: Os "deuses" nos legaram êstes conhecimentos, por ocasião de sua visita à Terra. Eu pressuponho: Descobertas, ainda à nossa frente no largo campo da ciência, estão armazenadas, há tempos imemoriais, na memória da humanidade, aguardando apenas que a chamada seja feita. Um passo neste caminho representam as experiências de David E. Bresler, da Universidade de Los Angeles, e de Morton Edward Bitterman, do Bryn Mawr College na Pennsylvania. Inocularam tecido cerebral adicional em peixes. Os peixes enriquecidos com substância cerebral não demoraram em mostrar-se bem mais inteligentes que seus semelhantes não tratados. No hospital de Cleveland está sendo realizada uma série de experiências, no correr das quais colocam-se cérebros de macacos em cães. Por que os sacerdotes maias arrancavam de seus prisioneiros os corações palpitantes? Por que os canibais estavam convencidos de que, comendo os seus inimigos, adquiririam sua fôrça e sua inteligência? Por que afirma um mito, vindo de épocas remotas, que o corpo pertence ao homem apenas até a chamada, devendo ser restituído, a qualquer momento,a seu "senhor"? Por que os sacerdotes maias arrancavam o coração do peito de prisioneiros vivos? Era sadismo, ritual religioso ou lembrança de uma técnica operatória, mal entendida, dos "deuses"? Poderíamos admitir que havia nos sacrifícios humanos, praticados através dos milênios, algo mais que uma prática de ocultismo? Teriam sido fragmentos de recordações de transplantes, operações, ou regeneração celular, transmitidas com grandes deturpações através dos séculos?


  • Space Paranoia

    Autor: Traduzido por Dogma Cooler

    Veículo: http://spaceparanoia.blogspot.com.br/2009/09/erich-von-daniken.html

    Fonte: Traduzido por Dogma Cooler a partir do tópico sobr

    Erich von Däniken
    Upload feito originalmente por dirkherper
    Traduzido por Dogma Cooler a partir do tópico sobre Erich von Däniken na Wikipédia Inglesa (http://en.wikipedia.org/wiki/Erich_von_Däniken) em 11/09/2009

    Erich Anton Paul von Däniken, nascido em 14 de abril de 1935, é um controverso autor suíço conhecido por seus livros que apresentam reivindicações de evidência da influência de seres extraterrestres na cultura humana em sua aurora. Dentre suas obras mais famosas, destaca-se “Eram os Deuses Astronautas?” que foi publicado no ano de 1968. Von Däniken é uma das figuras chave da popularização da hipótese dos astronautas da antiguidade e de contatos extraterrestres no passado remoto da raça humana.

    Von Däniken é um co-fundador da Associação de pesquisa de Arqueologia, Astronáutica e SETI (sigla em inglês para “busca por inteligência extra-terrestre”). Desenvolveu ainda um parque temático chamado de “Mystery Park” em Interlaken, na Suíça, que abriu em 23 de maio de 2003 e foi fechado em novembro de 2006.

    Seus 26 livros foram traduzidos para mais de 20 idiomas, vendendo mais de 60 milhões de cópias em todo o mundo, e seus programas de TV e documentários foram exibidos em diversos países.


    Alegações de influência alienígena na Terra
    Baseando-se em obras anteriores de outros autores (incluindo aí o italiano Peter Kolosimo, que mais tarde seria seu crítico), Von Däniken afirmou que existia vida inteligente extraterrestre, e que ela havia visitado nosso sistema solar no passado, complementando ainda que haviam inúmeras provas de tal afirmação. Também afirmava que a evolução humana podia ter sido manipulada por meio de engenharia genética por estes mesmos seres extraterrestres.

    As evidências que von Däniken apresentou para apoiar suas hipóteses paleolíticas de contato ancestral podem ser categorizadas da seguinte forma:

    Artefatos encontrados que ele acusa serem fruto de uma tecnologia inexistente na sociedade contemporânea a sua fabricação. Von Däniken afirma que esses artefatos foram fabricados ou por visitantes extraterrestres ou por seres humanos que obtiveram os conhecimentos necessários para sua fabricação com tais seres. Dentre tais artefatos ele citou o Mecanismo de Antikythera, o Monumento de Stonehenge, as Estátuas da Ilha de Páscoa e o Mapa de Piri Reis.
    Na arte do mundo antigo (pinturas rupestres, tapeçarias, esculturas, literatura, etc) em diversas culturas são observados temas que podem facilmente ser interpretados como ilustrações de astronautas, veículos voadores, criaturas não-humanas dotadas de inteligência e artefatos de alta tecnologia. Von Däniken também aponta detalhes que são semelhantes na arte de culturas independentes muito distantes umas das outras.
    A origem das religiões poderia ser uma reação ao contato de humanos primitivos com seres alienígenas. Os humanos considerariam a tecnologia de tais criaturas como algo sobrenatural e mágico, e os próprios seres seriam vistos como deuses. Segundo von Däniken, as tradições orais e literárias da maioria das religiões contêm referências a “visitantes das estrelas" e aos veículos que estes usavam para viajar através do ar e do espaço. Estes, segundo ele, seriam declarações a serem interpretadas como descrições literais, mas que mudaram durante a passagem do tempo e tornaram-se obscuras, sendo tidas como ficção ou sendo interpretadas simbólica ou miticamente. Um destes textos seria a revelação de Ezequiel no Antigo Testamento, que ele interpreta como uma descrição detalhada de uma nave de desembarque.


    Popularidade
    Von Däniken tornou-se popular na Índia durante os anos 1970, fruto da tradução de seus livros para a língua bengali feita pelo tradutor Ajit Dutta. Alunos de nível escolar foram os primeiros integrantes do seu grande grupo de crentes na Índia.

    Von Däniken posteriormente visitou a região de Caxemira, da Índia, para verificar a presença de radioatividade em um templo antigo, onde ele acreditava que uma nave espacial havia pousado. Este evento foi coberto de forma crítica pela imprensa indiana. Grandes veículos de comunicação na Índia se referiam à viagem de von Däniken como "fracasso", devido a sua incapacidade de indicar a natureza da radioatividade supostamente encontrado no templo.

    A exposição “Un Monde Insolite”, altamente baseada em seu livro “Eram os Deuses Astronautas?” foi inaugurado em Montreal, no Canadá, e permaneceu aberta por vários verões na década de 1970. A exposição era realizada no um antigo pavilhão da “Expo 67”. Nela era possível ver várias réplicas de artefatos históricos que segundo Däniken demonstravam a existência de visitação alienígena no passado.


    Problemas legais
    Os problemas de Von Däniken com a lei começaram cedo. Em 1960 Von Däniken trabalhou em hotéis e restaurantes por toda a Suíça e, em seguida, foi condenado por fraude, cumprindo uma sentença de prisão por fraudar seu patrão em um hotel.

    Em 1967, logo após a publicação de “Eram os Deuses Astronautas” ele foi preso e acusado pela Interpol de fraude e evasão fiscal pelo não-pagamento de US$ 14,000.00. A pedido do ministério público, ele foi condenado pelo tribunal a sofrer exames psicológicos. Durante a investigação, as autoridades descobriram uma grande dívida pessoal de cerca de US$ 700.000. Von Däniken foi considerado culpado de apropriação indébita e cumpriu mais de três anos nas prisões suíças.


    Crítica
    Alguns cientistas como Carl Sagan e IS Shklovskii chegaram a escrever sobre as reivindicações de von Däniken sobre contatos ancestrais e visitação extraterrestre. Embora o Dr. Sagan não tenha descartado a possibilidade das visitações, ele insistiu que "alegações extraordinárias exigem provas extraordinárias".

    Von Däniken afirmou que um pilar de aço inoxidável na Índia era uma evidência da influência extraterrestre. No entanto, posteriormente ele admitiu em uma entrevista para a revista Playboy que o pilar estava enferrujado e que havia sido feito por humanas, e que para sustentar suas hipóteses ele disse “nós podemos esquecer esta coisa de ferro?” (Von Däniken não inventou o conto do pilar de aço inoxidável na Índia: em 1935, Will Durant havia cometido o mesmo engano em seu livro “Nossa Herança Oriental”, na página página 478.) Nem von Däniken nem nenhum dos seus editores removeram este ou qualquer outro item da lista de “evidências” desacreditadas nas edições posteriores de seus livros.

    A maioria dos historiadores alegam que a obra de Von Däniken trata-se de uma pseudociência, e são da opinião de que ele chega a muitas conclusões com poucas evidências, desconsiderando hipóteses alternativas mais prováveis. Mas um grande grupo de seguidores, alguns dos quais escritores, são da opinião de que suas teorias podem estar corretas.

    O público em geral, no entanto, tem sido mais receptivo. Alguns dos 26 livros de Von Däniken foram traduzidos para muitas línguas, em uma quantidade estimada de mais de 60 milhões de cópias. Seus documentários de TV foram exibidos na Alemanha, nos Estados Unidos e outros países. Sua influência também pode ser visto na ficção científica, na cultura New Age e algumas religiões modernas, como a Cientologia. Além disso, alguns acusaram von Däniken do etnocentrismo europeu e sugeriram que essas opiniões "constituem a última palavra em racismo".

    Ronald Story publicou “Os Deuses Espaciais Revelados” em 1976, fornecendo nele uma refutação quase que página por página das hipóteses e provas apresentadas em “Eram os Deuses Astronautas?”.

    Já um artigo de 2004 da revista Skeptic Magazine afirma que von Däniken havia plagiado muitos dos conceitos do livro “Le Matin des Magiciens”, que por sua vez era fortemente influenciado pela “Mitologia de Cthulhu”. Esta era o núcleo da teoria dos astronautas antigos originalmente criada pelo famoso escritor de terror HP Lovecraft em seus contos "O Chamado de Cthulhu" (“The Call of Cthulhu”) e "Nas Montanhas da Loucura” (“At the Mountains of Madness").

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

No final de 60 e inicio de 70, Däniken estava em moda. Este volume está datado de 20.3.71 sob o carimbo "João Furtado de Souza Neto". João Furtado foi meu colega de trabalho, no Bradesco. Provavelmente me emprestou o livro e eu não devolvi.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.