carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Bartolomeu

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Bartolomeu

Livro Bom - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    0
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Arnaldo Brandão  

Editora: Laemmert

Assunto: Romance

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 220

Ano de edição:

Peso: 350 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Bom
Marcio Mafra
28/09/2002 às 21:46
Brasília - DF

Bartolomeu é uma novela típica de "cidade cais". Algumas mulheres, muita cachaça, muito trabalho, muito vento, muito frio, alguns sonhos não realizados, histórias de marinheiro que não terminam com a morte do personagem central.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A história do marinheiro Bartolomeu, que tem por mãe uma sereia, por coração uma estrela e por alma a sua embarcação.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Marilena aquiesceu ao convite que Bartolomeu lhe fizera. Andava mesmo a procura de quem remediasse sua vida. A cidade inteira estava se tornando, dia a dia, mais intolerável. Como boa calculista, compreendeu logo que outra situação igual, tão cedo, não lhe apareceria. Por que titubear? . .. Por que perder tempo, então? .. Iria e, até mesmo, com muito prazer. Ora, se iria!. . - O isolamento até que me vai beneficiar. .. Ando farta dessas confusões. Sou das tais que vão à rua, somente por necessidade. Comunicou ela ao faroleiro, num rasgo de incontida animação. - Além do mais, a aventura me fascina. Adoro viver afastada dêsse redemoinho, dêsse mundo de almas hipócritas e imundas!... Bartolomeu, ingenuamente, ia acreditando nas palavras daquela mulher. E qualquer homem acreditaria, tão sincera era sua maneira de se expressar. Demais a mais, seriam duas vidas consertadas. A dêle que levava para sua solitude uma companhia. E a de Marilena, uma situação que jamais o destino proporcionaria outra igual. Ficou ajustado que, na próxima viagem da lancha, Brisa viria buscá-la. Portanto, que se aprontasse e marcasse um encontro com o lancheiro, a fim de auxiliá-la no transporte da bagagem. Quando Bartolomeu retomou à ilha, naquela tarde, já não era mais o mesmo homem de quando, pela manhã, a deixara. Como nos parecemos com criaturas verdadeiramente opostas, depois de um interstício, apenas. Às vêzes, uma hora, uma noite, um domingo, é o suficiente para mudar completamente a nossa maneira de pensar e de agir. Não podia compreender agora como achara a ilha antes tão monótona e sua. paisagem tão insípida. Miraculosamente tudo se transformara. A ilha inteira voltava a ser a mesma de quando a viu pela primeira vez. O arvoredo parecia mais verdejante. As rochas, mais cintilantes e o mar adquirira tonalidade excepcional, de azul-verde, uma côr há muito desaparecida que êle nunca mais tivera a oportunidade de contemplar. Sentia-se outro. Remoçado. Renascia-lhe o entusiasmo para a vida e a aptidão para o trabalho. Tôda a ilha entrou em remodelação total para esperar sua amada. Na manhã seguinte, que chegou ao farol, foi logo apanhar tinta e prepará-la para nova pintura na fachada do chalé. Aquela mesma tinta que mandara vir da cidade e que abandonara, a um canto, quando fôra colhido por aquêle desânimo que dele se apoderara e se estendera até os últimos tempos. Pintou a casa e alcatroou os moirões do trapiche. Consertou a cêrca de tábuas que se estendia ao fundo do quintal. De cima do telhado, varreu, com um galho sêco, o excremento das gaivotas que deixaram nas telhas manchas brancas como o alvaiade. Cedo ainda, principiava a trabalhar. Ao seu lado, Zarção pulava de contentamento, parecendo compreender o milagre que repentinamente se operara no amo.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Na primeira metade dos anos 60 trabalhei no Banco Inco. Banco Industria e Comercio de Santa Catarina S/A. Um dos clientes, Arnaldo Brandão, catarinense da cidade de Itajai, exatamente a cidade Matriz do Banco, me presenteou com seu livro e o autografou.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.