carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Com a Graça de Deus

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Com a Graça de Deus

Livro Ruim - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    0
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Fernando Sabino  

Editora: Record

Assunto: Ensaio

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 265

Ano de edição: 1995

Peso: 310 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Ruim
Marcio Mafra
16/11/2002 às 12:42
Brasília - DF

Fernando Sabino enriqueceu o movimento literário brasileiro. Em seus livros ele explora as sutilezas, os desconcertos e as contradições da vida urbana, sempre com o tempero do bom humor. O "Com a Graça de Deus", foge desse modelo, vez que é um ensaio. Talvez o único ensaio do autor. O livro fala sobre os evangelhos e a história de Jesus. O texto, o tema e o livro é muito sem graça, sem beleza, sem novidade, sem gostosura, sem teoria, sem verdade, sem valor, sem nada. Com tanto sem, o ensaio mais parece um "ensaio vazio", mas guarda um inconfundível viés daqueles ex coroinhas que viraram ratos de sacristia. Caramba, terá o autor virado pastor ?


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Leitura do evangelho, inspirada no humor - amor - de Jeus Cristo.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Novamente era sábado quando Jesus foi convidado para uma ceia na casa de um importante fariseu. Todos o observavam. Havia ali um homem com hidropisia, as mãos e os pés inchados. Jesus interpelou os escribas e fariseus presentes: - É ou não é permitido fazer curas no dia de sábado? Ninguém disse uma palavra. Então Jesus, tomando o homem pela mão, curou-o e o deixou ir embora. Depois dirigiu-se de novo aos demais: - Quem de vocês, se cair o jumento ou o boi num poço, não o tira imediatamente, mesmo sendo sábado? Nada puderam replicar a isto. Vê-se que os milagres de Jesus já não surpreendiam os fariseus, a não ser por realizá-los no sábado. Reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares para sentar-se à mesa, ensinou: - Quando você for convidado a uma festa de casamento, não se sente no primeiro lugar, pois pode ser que haja alguém mais ilustre e quem o convidou lhe pedirá que ceda o lugar a ele. E você correrá o risco de acabar no último lugar. Quando for convidado, vá logo para o último lugar, a fim de que aquele que o convidou possa dizer: "Amigo, venha para mais perto." E você será honrado na vista dos demais convivas. Não sei se graças à sabedoria aurida nesta lição do Evangelho ou apenas devido à simples tradição da prudência em Minas Gerais, assim as regras do bem-proceder sempre recomendaram em minha terra. - Porque todo aquele que se exaltar será humilhado, e todo aquele que se humilhar será exaltado - acrescentou Jesus. E formulou para o que o tinha convidado um preceito difícil de seguir: - Quando der um banquete, não convide seus amigos, nem irmãos, nem parente algum, nem vizinhos ricos. Porque, por sua vez, eles o convidarão, retribuindo a gentileza, e tudo ficará por isso mesmo. Quando der um banquete, convide os pobres, os aleijados, os cegos. E ficará feliz, porque eles não têm como retribuir e a retribuição virá na ressurreição dos justos. Um dos convidados lhe disse: - Feliz é aquele que se sentar à mesa no reino de Deus! Jesus passou a contar: - Um homem deu um grande banquete e convidou muita gente. À hora do banquete, mandou um criado avisar a cada um que podia vir, já estava tudo preparado. Mas todos, um por um, começaram a se desculpar: "Comprei um terreno e preciso sair para vê-lo" , falou um: "Peço que me desculpe não poder comparecer." Outro: "Comprei cinco juntas de bois e vou experimentá-las, peço que me desculpe." Outro ainda: "Eu me casei e por isso não posso ir. " E assim por diante. O criado voltou, dando conta do que se passara. Irritado, o homem ordenou: "Vá sem demora pelas praças e pelas ruas da cidade e me traga aqui os mendigos, os aleijados, os cegos e os coxos que encontrar." O criado cumpriu a ordem e voltou, dizendo: "Fiz como o senhor mandou, e ainda sobrou lugar." Ele então recomendou que saísse pelas estradas, atalhos e encruzilhadas arrebanhando quem encontrasse para encher a sua casa. Pois lhes digo: nenhum daqueles homens que foram convidados e não compareceram participará do meu banquete...." Jesus passou a contar: - Um homem deu um grande banquete e convidou muita gente. À hora do banquete, mandou um criado avisar a cada um que podia vir, já estava tudo preparado. Mas todos, um por um, cómeçaram a se desculpar: "Comprei um terreno e greciso sair para vê-lo" , falou um: "Peço que me desculpe não poder comparecer." Outro: "Comprei cinco juntas de bois e vou experimentá-Ias, peço que me desculpe." Outro ainda: "Eu me casei e por isso não posso ir." E assim por diante. O criado voltou, dando conta do que se passara. Irritado, o homem ordenou: "Vá sem demora pelas praças e pelas ruas da cidade e me traga aqui os mendigos, os aleijados, os cegos e os coxos que encontrar." O criado cumpriu a ordem e voltou, dizendo: "Fiz como o senhor mandou, e ainda sobrou lugar." Ele então recomendou que saísse pelas estradas, atalhos e encruzilhadas arre. banhando quem encontrasse para encher a sua casa. Pois lhes digo: nenhum daqueles homens que foram convidados e não compareceram participará do meu banquete.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Fernando Sabino é autor que importa. Toda prateleira deve ter um ou mais exemplares de autoria dele. Sem outros motivos nem outras histórias.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.