carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Os Forasteiros

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Os Forasteiros

Livro Ruim - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    0
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Nathaniel Benchley  

Editora: GRD

Assunto: Romance

Traduzido por: Donaldson M. Garschagen

Páginas: 248

Ano de edição: 1964

Peso: 400 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Ruim
Marcio Mafra
26/09/2004 às 22:48
Brasília - DF

Livro escrito por americano, no início dos anos 60, em plena Guerra Fria, em cujo enredo houvesse apenas uma simples alusão a um russo, este seria o bandido. Quando existem muitos personagens, eles são mais que bandidos. São: maus, socialmente brutos, sem nenhum encanto pessoal, beberrões e de inteligência apenas mediana. Ainda que o livro conte uma história onde os russos chegam de submarino. Neste caso eles são inimigos cruéis que deveriam ser assassinados imediatamente, em nome da democracia e do capitalismo. Não o foram imediatamente senão o livro chegaria ao fim, sem ter havido a história ridícula como esta dos Forasteiros. Ademais, os personagens russos que compõem a história, são em número significativamente inferior à quantidade de personagens americanos. Já os personagens americanos são pessoas simpáticas, inteligentes, justas, bem resolvidas e sensuais como Liveridge, Gurney, Miss Everett, Link Mattocks, Mary Lou, Palmer, Artur Carew, Norman Jones, Cherlie Palmer e mais uns 15 outros. Mas nada faz a transformação de livro ruim.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A história de espiões russos que chegam aos EUA num submarino....

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

O outro vigia entrou pela porta com estrépito, e depois de ouvi-lo, Jonas disse: - Muito bem. Agora, o que faremos é esperar. Se êles quiserem tomar a cidade terão que subir pela Rua Principal e nós estamos no melhor lugar que há. Ficarei na frente e não quero que ninguém atire, a não ser que eu dê o sinal. Está claro? Os homens concordaram e Palmer disse: - Qual é a vantagem de expor-se. Norman? Ficará melhor se estiver protegido. Jonas sacudiu a cabeça. - Eu sou o lider. E tenho de falar com o lider dêles antes que alguém dê um tiro. - Você poderia falar com êle aqui, não poderia? - Não pareceria direito. Um homem não pode propôr um negócio nestas condições. - Jonas olhou pelo vidro da janela e depois para Scollard: - Vamos ter de rebentar sua janela, Marv. Alguém pode cortar-se se não fizermos isto agora. Scollard sacudiu os ombros e, sob as instruções de Jonas os homens retiraram-se da barricada, enquanto três despedaçavam a janela com a coronha de seus rifles. Depois, o vidro foi varrido para um canto e os homens com rifles e espingardas retomaram seus lugares atrás das mesas. Os outros homens alinharam-se atrás do bar ou agacharam-se ao longo da parede dos fundos. - Se houver apenas oito dêles, não teremos problemas - disse Jonas. Depois sorriu e acrescentou. - Mas êles teriam que ser tremendamente estúpidos se tudo o que mandaram foram apenas oito. Acho que as matas estão provavelmente cheias dêles. Foi para a rua e ficou de costas para o edifício. Algumas flâmulas de papel caíam molemente das árvores, em frente à farmácia e o cartaz "Bem-vindos. Meriden" havia se enroscado, durante a noite, de tal maneira, que parecia um lenço gigantesco torcido para secar.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Consta na folha de rosto um carimbo: Biblioteca Publica Municipal, Goiânia, 22/10/64. Não faço idéia como este patrimônio cultural goiano veio parar aqui. Até que um espião qualquer nos aborde para o esclarecimento do misterioso caso - manterei este Forasteiro - em cárcere privado.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.