carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

O Brasil e O Mito da Globalização

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
O Brasil e O Mito da Globalização

Livro Ótimo - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    0
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Ricardo W Caldas  

Editora: Celso Bastos

Assunto: Comercio Exterior

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 231

Ano de edição: 1999

Peso: 275 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Ótimo
Marcio Mafra
19/10/2004 às 15:08
Brasília - DF

Ao começar a leitura, imaginei que o livro fosse, como todos do gênero, recheado daquelas frases clichês: " O mundo está mudando em incrível velocidade, provocando alterações sociais, culturais e econômicas em toda a humanidade". Ou " O mercado global domina o mundo" etc. O tema “Globalização” se não deu muito pano pra manga, deu muito motivo pra livro superficial. Publicações de todo tipo fizeram uso da palavra globalização - por vezes - até com conotação pejorativa. O livro do Ricardo Caldas, no entanto, ultrapassa a visão meramente teórica e de clicheria, e sugere esclarecimentos práticos e reais sobre a mundialização dos mercados, inclusive com as opções do Brasil. Leitura simples e inteligível.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

1) O Mito da globalização

2) A Economia Política das Reformas no Brasil

3)Aspectos Financeiros e de Investimento do Processo de Globalização

4) Comércio Internacional: da criação do GATT à OMC

5) As opções do Brasil nos anos 90

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A Rodada Dillon (1960-1962) Foi a primeira rodada depois da criação da CEE e resultou em 4.400 concessões tarifárias mas produtos agrícolas continuaram fora das negociações. Os negociadores dos EUA continuaram com estreitas margens de manobra impostas pelo congresso americano e um outro tema polemico começou a ficar em evidência: as barreiras não tarifárias. Durante seus primeiros 15 anos de existência, o GATT foi bem sucedido na redução das tarifas nos PDs, reduzindo-as a um nível médio de 15% as quais, no entanto, não representavam grandes barreiras ao comércio internacional. Na verdade, as grandes barreiras ao comércio eram as barreiras não tarifárias, por serem "invisíveis" e por ser difícil determinar o quanto afetam o comércio mundial. Mesmo assim, pode-se dizer que neste período inicial o GATT estimulou bastante o crescimento do volume das trocas internacionais


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Não historia sobre este livro


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2021
Todos os direitos reservados.